6 de setembro de 2015

[RESENHA + QUADRINHOS] The Suicide Forest

The legend of the Aokigahara forest (which lies just outside of Tokyo) says that those who have committed suicide in the massive wilderness are cursed to have their souls trapped within its very roots. Unfortunately for Alan, his girlfriend, Masami, committed her suicide there and she's now on a vengeful mission to ruin his life! (T.L.: A lenda da Floresta Aokigahara (que fica logo nos arredores de Tokyo) diz que aqueles que cometerem suicídio em sua imensidão estão condenados a terem suas almas presas em suas raízes. Infelizmente, para Alan, sua namorada, Masami, cometeu suicídio lá e agora está numa missão vingativa para destruir a vida dele!)
Quem se interessa por história de terror sobrenatural e misticismo japonês, deveria dar uma chance para essa história muito interessante, com roteiro de El Torres e arte de Gabriel Hernandez Walta.

A história nos faz acompanhar duas rotas que logo na frente se cruzam: a primeira delas é a de Alan e Masami, o casal protagonista. Alan Talbot é um gaijin (estrangeiro) americano que mora em Tokyo. Depois de algum tempo trabalhando com Masami, os dois acabaram se apaixonando e indo morar juntos. Quando a história começa de fato, é a noite em que Alan termina tudo com a namorada. É uma cena bem forte, até, tanto no modo como as expressões de Masami foram desenhadas quanto por causa do diálogo entre os dois. As palavras que cada um diz para o outro, Masami ficando agressiva, chegando ao ponto de quebrar uma garrafa na cabeça no (ex-)namorado.

Enquanto Masami está inconsolável, se dirigindo a Aokigahara para se enforcar numa árvore, Alan está num bar com seu amigo Takashi, bebendo. Logo depois é mostrado ele transando com uma moça da empresa em que eles trabalham. Masami se suicida!
Forest of the Living Dead (The Forest) é um filme de 2011 dirigido por Shan Serafin que conta uma
história muito parecida com essa.
A segunda rota que acompanhamos é de Ryoko, uma guarda florestal responsável justamente por cuidar a floresta Aokigahara. Ela e seu parceiro (com o qual não se dá muito bem) percorrem as trilhas da floresta a procura de novos corpos ou apenas de pessoas que não conseguiram chegar ao fim. Ryoko é jovem e um tanto atrevida, mas muito ligada à sua religião budista e com alguns costumes bem estranhos (para nós). Um dia, Ryoko deve apresentar a floresta a dois novos recrutas, mas acaba encontrando Alan, em estado de choque, murmurando que sua ex-namorada, agora morta, disse para ele se juntar a ela.

E é aqui que a história começa de fato. Antes disso são só os preparativos para que a história engate. Por exemplo: Masami assassinando as duas pessoas que ela culpa por terem feito Alan tê-la traído na noite que eles terminaram; as investigações sobre as mortes de três pessoas ligadas a Alan; as várias discussões entre Ryoko e seu companheiro de trabalho.

Alan fica tão devastado e tão cheio de culpa pela morte da namorada que, mesmo com os incentivos de Ryoko, ele quase não consegue se conectar com ela de forma pacífica. A história é cheia de mensagens motivacionais tanto implícitas quanto explícitas (por meios de algumas falas da Ryoko). A história toda é bem constante, sem reviravoltas, com cenas de horror e drama bem distintas. Só para finalizar: o traço, ao estilo mangá, é muito bonito. As cenas que acontecem no meio da floresta, deixam o ambiente bastante sinistro, além dos assassinatos ao longo da HQ. As expressões de cada personagem são bem feitas, impactantes, não ficando algo falso ou estranho demais.

Em 1998, os principais motivos dos suicídios em Aokigahara eram: saúde (37%); economia (30%); família (10%); relacionado a emprego (8%); outros (7%); desconhecido (8%)
Não sei do seu lançado aqui pelo Brasil, mas creio que ainda não tenha chegado em nossas terras. Mas você pode adquirir ela facinho na internet em inglês. Se seu inglês é intermediário, você não vai ter muita dificuldade na leitura – já que o vocabulário é simples e algumas páginas não tem balões de fala alguma. E também há o Google Tradutor a uma aba de distância.

[+] Cenas preferidas – contém spoiler:
• O suicídio de Masami;
• A morte de Takashi;
• Masami contando para Alan como se sentia em relação ao relacionamento dos dois;
• O final inesperado.

Roteiro: El Torres | • Arte: Gabriel Hernandez Walta | • Número de Páginas: 106 páginas

Classificação: 4 estrelas

Se você quiser saber mais um pouco sobre a floresta Aokigahara, pode dar uma lida na matéria (em inglês) The Mysterious Suicide Forest in Japan. "Many hikers that venture into Aokigahara, even experienced ones, claim that it is oddly easy to get lost or confused in this dark and silent place". (T.L.: Vários montanhistas que se aventuram em Aokigahara, até mesmo os mais experientes, alegam que é muito fácil se perder ou ficar confuso neste escuro e silencioso lugar.) Você também pode dar uma olhada na floresta no Google Imagens, mas são imagens bastante fortes.

[+] Veja também os seguintes links relacionados:
Morning Glores #1 - #6 [Arco: For a Better Future] – Nick Spencer & Joe Eisma;
Coração Satânico – William Hjortsberg;
Televisão #3: American Horror Story: Asylum;
Algoritmos Sagrados #1: Almas Seladas - M.L. Ponte

Siga o Instagram do blog: @sanoite
Não esqueça de deixar seu comentário!

Um comentário:

  1. Que massa esse mangá. Você sabe dizer se tem anime? Ótima indicação e perfeita resenha.

    Amantes por Livros e Filmes

    ResponderExcluir